Breve história

A cirurgia plástica moderna surgiu em virtude do desafio das especialidades cirúrgicas na solução de casos altamente complexos e essas dificuldades levavam a desestímulo  dos cirurgiões.

E é isso que um cirurgião plástico faz: como um artista, ele modela, esculpe e reconstrói partes do corpo humano com o propósito de restaurar suas funções e equilíbrio estético.

O surgimento da Cirurgia Plástica está calcado nas cirurgias de reparação e reconstrução de partes do corpo humano. Remonta à Antiguidade, no século VIII a.C, quando médicos indianos começaram a reconstruir narizes de mulheres que haviam sido condenadas a ter seus narizes decepados como castigo. Sushruta Samhita foi o primeiro cirurgião plástico de que se tem notícia.

A Cirurgia Plástica como especialidade começou a ganhar popularidade no século XVIII. O médico alemão Jacques Joseph realiza com sucesso a primeira redução de nariz e se consolida como pioneiro da rinoplastia.

Na Primeira Guerra Mundial, os soldados não possuíam proteção da cabeça, pescoço e menbros. Expostos ao “front”, essa situação levavam ao surgimento de traumas altamente complexos que passaram a desafiar os cirurgiões. Harold Gillies, médico neozelandês, enfrentou o desafio e montou o perfil do cirurgião plástico moderno trazendo resolutividade a esses casos complexos. Nas 11.572 graves lesões faciais tratadas por ele na primeira grande guerra, marca o início do seu legado. Base do seu livro clássico: “Cirurgia plástica da face”

O advento da anestesia cirúrgica também permitiu o avanço da técnica. Hoje, a Cirurgia Plástica conta com procedimentos muito sofisticados, refinados e seguros.

Temos uma visão humana e valorizamos a individualidade de cada um. Buscamos a melhor técnica para o melhor resultado: natural e imperceptível.
Dr. Edmilson Lúcio

Fundamentos da Cirurgia Plástica

A cirurgia plástica em sua totalidade compreende dois setores de atuação. Um deles, considerado o fundamental, é a cirurgia plástica reparadora. Neste tipo de cirurgia, o objetivo é corrigir lesões causadas por retiradas de tumores, deformidades em razão de traumas e acidentes, problemas congênitos, além de cicatrizes de queimaduras ou advindas de outros procedimentos cirúrgicos que comprometam alguma funcionalidade do paciente.

A partir do desenvolvimento das técnicas reparadoras, um outro setor se desenvolveu: a cirurgia estética que tem como objetivo modelar a aparência de alguma região do corpo ou aspecto físico que incomoda o paciente. Neste tipo de intervenção, alia-se a aparência equilibrada aos aspectos funcionais do corpo.

Nossa visão sobre a cirurgia plástica

A busca humana da satisfação pela auto imagem, harmonia corporal e auto-estima é o principal motivo que leva milhares de pessoas a procurar cirurgiões plásticos. Nós acreditamos na importância dessa busca, mas sabemos que antes de qualquer intervenção é importante que o paciente tenha suas funcões vitais perfeitas. Nosso compromisso é com a funcionalidade do corpo humano, equilíbrio estético natural de cada paciente e com a harmonia de suas unidades.

Para se pensar em uma cirurgia plástica estética, acreditamos que o primeiro passo é o paciente saber o que lhe incomoda na sua estética corporal. Se ele não se sentir bem com sua aparência, pode procurar um cirurgião para o tratamento. Cabe ao bom profissional o dever de avaliar, junto com o paciente, se existe ou não a necessidade e o que pode ser feito. Em hipótese alguma operamos um paciente que não tenha necessidade ou indicação para intervenções.

Temos uma visão humana e valorizamos a individualidade de cada um. Buscamos a melhor técnica para o melhor resultado: natural e imperceptível