Blefaroplastia: cirurgia para as pálpebras

Cirurgia corrige pálpebras superiores e inferiores

O tempo é implacável. A medida que passa, nossas pálpebras revelam o envelhecimento da pele, que fica flácida, perde elasticidade e deixam a aparência de olhos cansado.  Bolsas acumulam também na parte inferior dos olhos. A solução para quem quer rejuvenescer o rosto inclui a blefaroplastia. É um procedimento feito normalmente com anestesia local e consiste no tratamento do excesso de pele e da musculatura orbicular. O cirurgião remove também o acúmulo de gordura e bolsas nas pálpebras inferiores.

Comumente quem precisa da blefaroplastia também tem outras áreas do rosto que precisam de cuidados. “Normalmente os cirurgiões plásticos fazem essas cirurgias em evento único. O nosso entendimento é que dificilmente existe a presença apenas de excesso de pele ou  musculatura, que traz a visão de pálpebra caída, mas toda a unidade frontal”, explica o Dr. Edmilson Lúcio, cirurgião plástico com vasta experiência no assunto.

Em virtude disso a proposta do especialista é, depois de um diagnóstico detalhado e cuidadoso, fazer a blefaroplastia, no mínimo, em conjunto com o lifting frontal. “Dificilmente iremos encontrar alterações de pálpebra que tenha indicação de cirurgia em tempo separado, isso quer dizer, só blefaroplastia. Por causa desse conjunto de alterações de pitose, relaxamento, que a gravidade puxa para baixo”, atesta Dr. Edmilson.

Não existe uma idade precisa para fazer a cirurgia. A partir dos 40 anos a pálpebra já está caída, mas existem pessoas que aos 20 tem pálpebra caída por  blefarocalasio. Em todo caso, o procedimento pode ser feito quando o paciente se queixar de pálpebra caída.

RECUPERAÇÃO
Nos primeiros cinco dias, aparecem sinais pós-operatório como manchas escuras pretas ou azuladas. Deve-se evitar exposições ao sol e a telas, como computador e televisão, nos primeiros dias, pois os olhos e o edema ainda estão sensíveis.

A recuperação total acontece em 30 dias, mas normalmente os sinais de avermelhamentos das cicatrizes na região dos olhos vão além desse período. A região palpebral possui estruturaras anatômicas finas e muito elásticas e uma fisiologia muito rica em movimentos, assim, a recuperação exige mais tempo. O processo cicatricial traz um endurece a região nos primeiros meses (de 2 a 3 meses) e isso dificulta o reestabelecimento da situação natural dessa região.

Procura uma solução? Tem alguma dúvida? Podemos te ajudar. Marque uma consulta pelo nosso site (www.edmilsonlucio.com.br) ou ligue para agendar: 61. 3327-0409.