Reconstrução da mama (imediata e tardia)

compartilhe

Este procedimento busca reconstruir mamas que foram retiradas em caso de tumores; como também ausência de mama por maformação ( Sindrome de Poland) Pode ser realizado por expansores, retalhos com prótese ( Grande Dorsal) ou TRAM. Por  lipofilling, que é a transferência de gordura e tecido de parte do corpo, ou coloca-se prótese para substituir a parte do tecido mamário. Quando a reconstrução acontece durante a cirurgia de retirada do tumor, é considerada imediata. A reconstrução tardia é feita em uma segunda cirurgia após a liberação do mastologista. Esta cirurgia melhora a estética, diminui o sentimento de mutilação do corpo e ajuda na adaptação psicológica da paciente.

 

A reconstrução tardia é recomendada apenas em casos mais avançados da doença, quando se deve aguardar de seis meses a um ano após a retirada do tumor para tratamento de quimio ou radioterapia.

São colocados drenos para sugar sangue e eventuais fluidos. O sutiã cirúrgico é colocado logo após a cirurgia e deve ser retirado somente para o banho.  A paciente deve respeitar o período de repouso, não dirigir e não fazer exercícios físicos por um mês. Não levantar os braços nos cinco primeiros dias e, até 15 dias após a cirurgia, os movimentos são limitados a 90 graus com o tronco.

A recuperação total acontece em 30 dias, mas após duas semanas é possível retornar às atividades normais. As atividades físicas devem ser liberadas após um mês.